Imprimir 

O Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas pretende ser um instrumento de combate à pobreza e à exclusão social em Portugal. O Programa foi desenhado numa lógica de intervenção mediante apoio alimentar e outros bens de consumo básico, assim como no desenvolvimento de medidas de acompanhamento que capacitem as pessoas mais carenciadas a vários níveis, promovendo assim a sua inclusão.

No âmbito do Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas (PO APMC) foi estabelecido um protocolo de parceria com o Banco Alimentar de Setúbal enquanto entidade coordenadora e 4 instituições do Concelho de Palmela nomeadamente Fundação COI, Centro Social de Palmela, Centro Social da Quinta do Anjo e União Social Sol Crescente da Marateca, enquanto entidades mediadoras.

A Fundação COI enquanto entidade mediadora abrange cerca de 191 beneficiários das freguesias de Pinhal Novo e Poceirão. O programa prevê a distribuição mensal de bens alimentares.